15 de julho de 2006

Desilusão

Onde estiveres quero que saibas
Que neste plano foste muito amado
E que este amor não findou
Quando tua hora de partir chegou

Tão precoce foste embora
Nem te investi em meus braços
Ficaste dentro do meu peito pulsante
Na eterna lembrança de um coração
Amargurado com ardor e desilusão.

Oro por luz e peço perdão
Se eu não garantia tua missão
Se me deixei enfraquecer
Permitindo a submissão.
Penalizei nossas essências
E suportarei sozinho essa decepção.


- Navi Leinad -

3 comentários:

Navi Leinad disse...

Uma forma de dizer "até breve", um tanto triste, mas era o que sentia no momento...

marisanblog disse...

Ah! Ivan,

Tuas palavras são de uma profundidade amigo. Invade o peito de quem ama. Invade o peito de quem não é amado. Como é triste o sabor de uma desilusão.

Adorei!!!

Abraços

Mari

Navi Leinad disse...

É triste demais mesmo... mas propicia ao belo se soubermos compreendê-la.
Muito obrigado, Mari.