28 de agosto de 2008

Errante

Foi embora
infeliz
como sempre
foi
levando consigo
orgulhoso
o egoísmo
e a solidão
companheira
fiel
testemunha
espetáculos psicóticos
monólogos silenciosos
até o fim...
extinguiu-se
mas não sabe.

- Navi Leinad -

7 comentários:

Mari disse...

Ivan querido,

Estava com saudade de suas poesias. Você faz muita falta na blogosfera.

Bjs

Harold disse...

Daniel!
Você me disse algo sobre a fonte do argentino secar e surgir a necessidade de escrever prosa em vez de verso. Sinceramente, não acredito que vai secar. SAe for pensar neste poema aí, a safra vai continuar sendo muito boa.
Um grande abraço e muita inspiração sempre, eu lhe desejo.
Saudações enzísticas!!!

Ivan Daniel disse...

Mari,
muito obrigado, minha amiga.
Fico feliz com isso.
Um abraço.

-----------------------------------

Harold,
pois é, esse argentino é típico, cheio de 'marra'.
hehehehehe...
Valeu, abraço.

andre wernner disse...

Pois é meu caro Ivan,
E quantos infelizes assim caminham pelo solo fértil, porém de aproveitamento medíocre, pois não entendem que da vida se colhe, o que nela se planta...
Abs e felicidade, sempre, junto aos seus!

Ivan Daniel disse...

Obrigado, André.
Felicidade também.

melljones disse...

Olá, gostei demais daqui.

Ivan Daniel disse...

Mell Jones,
obrigado pela visita e mais ainda pelo comentário.
Volte sempre.