23 de abril de 2007

Honrosa herança

(inspirado por meu pai)

O homem sabe que não morre
quando percebe a luz e a esperança
emergindo, elevando-se do íntimo
em ânimo perfeito.

O homem sabe que não morre
porque uma chama é acesa,
inaugurando a busca e a certeza
de respostas.

O homem sabe que não morre
porque suas idéias ficam,
e a natureza segue
em seu ritmo cíclico.

O homem sabe que não morre,
principalmente,
quando ele alcança nos filhos,
a expectativa concreta
de representação maior
da sua existência.

- Navi Leinad -



Poema generosamente indicado, como concorrente inaugural, para o "PRÊMIO CANETA DE OURO – POESIAS 'IN BLOG' 2007", idealizado por ANDRÉ L. SOARES e RITA COSTA.

14 comentários:

Menina do Rio disse...

"O homem sabe que não morre
porque suas idéias ficam,
e a natureza segue
em seu ritmo cíclico".

Grande inspiração que é o teu pai!

beijinhos de boa semana

Cris Moreno disse...

É isso mesmo, amigo.
Bjs.

Menina do Rio disse...

Navi, hoje vim deixar meu beijo carinhoso!

Navi Leinad disse...

Menina do Rio,
meu pai é um homem muito especial.
Obrigado pelo carinho de sempre.

-----------------------------------

Cris Moreno,
obrigado pela passadinha por aqui :-)

Alê G. disse...

[obrigada]

me lembrou o poema que li no blog do yúdice, o que fala de poesias e de lanternas chinesas.
e reafirmo o que lá disse: nem as poesias, nem as lanternas, nem o homem morre. apagam sua luz, consomem seu esplendor, mas mantêm iluminados aqueles momentos e aqueles detalhes que embelezaram enquanto estiveram em plenitude.
belíssimo...

Cris Moreno disse...

Navi, o blog da Mari acabou?
Bjs.

Mari disse...

Ivan,

Fiz uma lambança e acabei deletando meu blog Aquarelas. Mas, criei outro blog. Estou aguardando sua visita e demais.
http://pedradealquimia.blogspot.com"Pedra de Alquimia".

Bjs

Mari

Navi Leinad disse...

Alessandra,
teu entendimento é perfeito!
Gosto de ler o que escreves.
Abraço.

-----------------------------------

Cris,
um frio subiu pela minha espinha quando percebi que o blog da Mari continuava 'fora do ar'... pela tarde não quis acreditar em fim... mas agora tudo está resolvido, como podes ver pela explicação da própria 'atrapalhada' rsrsrsrsrsrs...
Continuaremos a prestigiá-la, né?
Abraço.

-----------------------------------

Mari, amiga...
sabes bem o que se passa pela cabeça e coração de quem se vê abandonado na blogosfera.
Ainda bem que foi só susto!
Já acrescentei o novo endereço em meus links, mas deixei o antigo como forma de homenagem e saudosismo, assim como fiz com o amigo Bruno Vieira.
Abraço.

J@de disse...

A inspiração que foi seu pai para esse poema, certamente é para sua vida, o mundo precisa de grandes homens criando seus filhos.
Beijos!!

Navi Leinad disse...

J@de,
e ao lado de um grande homem tem sempre uma grande mulher :-)

David Carneiro disse...

O homem é uma chama acesa mesmo! Isso me lembra o bom livro dos abraços do nosso Eduardo Galeano...Existem várias formas de nos tornarmos imortais. Um grande abraço!

Navi Leinad disse...

Salve David!
Encontremos cada um a melhor forma então.
Abraço!

Xico Rocha disse...

Meu amigo, este poema me arremete a uma figura que morreu para viver eternamente, El Che.
Abraços
Xico Rocha

Navi Leinad disse...

Xico, nem a morte nos faz perder a ternura, né?
Abraço.