22 de abril de 2009

Angústia

Sob o jugo do próprio olhar
Aprisionou-se em tirania
Quis viver aflito
Triste e oprimido
Reprimiu os sentimentos
E se escondia
Tentou acreditar que assim
Niguém descobriria
Sua íntima agonia.

- Navi Leinad -

6 comentários:

Harold disse...

O poeta deste texto é um cara que nos oferece um bom personagem.
Admiro a atitude dele. Mas me questiono se é possível, de fato, esconder a agonia.
Fiquei com a impressão de que este poema poderia servir de base para um excelente filme. Rodado em preto-e-branco, é claro. Se não for assim, como será possível falar de agoria.
Saudações enzísticas!!!!

Mari disse...

Ivan,

Isso é saudade viu!?...

Tô levando meu selinho tá!?

Bjs pra vocês!

Frederico Guerreiro disse...

Salve, salve grande Ivan! Que micro-biografia é essa aí ao lado companheiro?
Tô na área. Vou começar e descer o sarrafo em algumas coisas lá no blog.
Abração e saúde a todos da sua família.

Ivan Daniel disse...

Harold,
valeu pelo comentário!
Abraço.

----------------------------------

Mari,
Pode levar que depois vou lá "te entregar".
Abraço.

----------------------------------

Fred,
grande Cavaleiro Jedi!
Deixa pra lá essa micro-biografia...
rsrsrsrs...
Que bom o teu retorno!
Abraço.

.: Ney Pantaleão :. disse...

Saudades de ti caboclo!

Ivan Daniel disse...

Pois é, Ney... tô sumidão mesmo. Mas dá uma lida no post acima pra matar um pouco a saudade hehehehehe...
Abraço.