19 de março de 2009

Retorno

E atravessou,
como tantas vezes,
para a outra margem do rio.
Retornou ao seu chão
ainda com aquela linha imaginária
e fortaleza de sempre,
mas, desta vez,
tudo lhe pareceu diferente...
Por onde passava só via o que foi,
nunca o que hoje é.

- Navi Leinad -

6 comentários:

Harold disse...

Não dá para deixar de festejar o retorno do bom poeta ao pródigo blog.
Seu texto continua digno de aplauso.
Grande abraço!!!!

Alcilene Cavalcante disse...

Lindo Poema

Neyzinho™ disse...

Pô meu patrão... Tu voltastes com a corda toda, hein!?
Esse poema tá paid'eguaa!

Ivan Daniel disse...

Harold, Alcilene e Ney,
obrigado pelos elogios.
Abraços.

Lilian Dalledone disse...

Lindo. Porque somos diferentes o tempo todo...

Ivan Daniel disse...

Obrigado, Lilian.
Abraço.