21 de setembro de 2006

Incumbência

Dois corpos, dois corações
Separados e distantes
Existências combinadas
Indispensável expiação
Encontros e desencontros
Limitando a missão.

Duas vidas, duas afeições
Unidas por desígnio
Intuito de evolução
Oportuna incumbência
Deu-lhes a Criação
Uma nova existência
Amplifica a provação.

Três essências, uma inquietação
Um ser, dois em atenção
Doce encargo

Edificante obrigação.

- Navi Leinad -

8 comentários:

Menina do Rio disse...

Lindo, lindo!!
Poema cheio de alma e de luz, mesmo que separados e distantes; unidos pelos corações

Beijos e tem um belissimo fim de semana!!

Navi Leinad disse...

Obrigado, Menina do Rio.

Paola Vannucci disse...

o amor é o sentimento mais sublime e puro que conheço,
sejamos cumplices dele,
ah se todos soubesse amar sem intenções o mundo nao seria assim

bjsssssssssssss

te amo

Paola

Navi Leinad disse...

"Amar e mudar as coisas me interessa mais"
Vivas ao amor!
Obrigado, Paola.

andre wernner disse...

É isso!
Em tempos de guerra verbal, onde às palavras são usadas para acusar, difamar, diminuir...

Vejo em seus poemas, a nobreza da alma, da alma que não se apequena...

Porque maior é o desejo de se doar, do que a ignorância de tudo querer, de tudo desejar e de tudo amealhar!

Continue amando, vivendo, enchendo e transborda a alma de amor e divida sempre, porque é dando que se recebe e é amando que se é amado!

Luz eterna!
Me visite quando seu coração desejar...
Abs

Navi Leinad disse...

André, a alma de nosso ser deve permanecer na luz, por mais sombrio que seja o mundo em que se tem experiências expiatórias. Com isso conseguimos seguir na jornada.
Abraço, obrigado pela visita e comentário. Espero que volte sempre. Pode deixar que visitarei seu espaço.

marisanblog disse...

Amei Ivan.

Realmente, revelações d'alma.

Um beijo carinhoso.

Mari

Navi Leinad disse...

Escrevo com o coração, Mari. Obrigado por gostar.